Paulo Navarro | terça-feira, 10 de julho de 2018

À frente dos setores financeiro e administrativo do Grupo Monjardim, a bela Renata Jacques alça novos voos com a inauguração de sua Hortya Mix, uma saladeria no Lourdes.

Foto: Divulgação/ Grupo Monjardim

 

Morte mais que anunciada

Entre as pérolas do WhatsApp, depois da desclassificação do Brasil pela Bélgica, na Copa da Rússia, destacamos uma alusiva à terça-feira gorda do Carnaval: “A Bélgica, em 90 minutos, fez mais gente voltar ao trabalho do que o PT em 13 anos”. Pois é, bola pra frente que atrás vem gente! Vamos ao trabalho que só com ele vamos reerguer e passar a limpo este país. A Copa provocou outra derrota.

Morte no berço

A derrota da malandragem que ensaiou, mas não decolou. Craque nesse campo, o PT abriu a semana tentando driblar seus últimos dissabores, valendo-se de seus artilheiros no Judiciário, escalou o time para atacar no dia e na hora certos. Tudo dentro do notório modus operandi!

Morte fatal

Dessa feita, na prorrogação e nos pênaltis, a tática sociopata deu zebra. E como! O mais triste desse circo com 200 milhões de palhaços é constatar que, em mais uma partida sob esta lona, o jogo contou com um juiz imparcial, mais um agente da imagem negativa de um poder.

Morte e vida

Em tempo do tira-teima computorizado VAR, em campo ou nos tribunais, não cabem mais decisões monocráticas. Para os que continuam torcendo por ordem e progresso, fica aqui outra mensagem viralizada no “zap”: “Que este patriotismo se estenda até outubro, quando escolheremos um time que, mais do que levantar uma taça, poderá erguer um país.”

 

Pioneiro campeão

A editora C/Arte, Mauro Fiúza, Lígia Pereira e Doorgal Andrada convidam para o lançamento de “Martim Francisco: Uma Revolução no Futebol”. É a biografia do técnico de futebol mineiro Martim Francisco de Andrada Sobrinho. Em 1951, aos 23 anos, ele lançou o sistema tático 4-2-4, quando técnico do Vila Nova e foi campeão mineiro. Mais pioneiro, Martim revolucionou o modelo inglês WM seguido em todo o mundo. Martim Andrada foi técnico de vários e grandes times no Brasil e até na Espanha.

 

Curtas & Finas

* Ainda sobre Martim Francisco de Andrada Sobrinho: dirigiu os times do Vasco, Corinthians, Cruzeiro, Atlético, América, Internacional e Atlético de Bilbao e Leche, na Espanha.

O Brasil venceu o tri de 58, 62 e 70 com o 4-2-4 que também foi adotado no Santos, na Era Pelé. O livro tem prefácio do ex-craque Tostão. 

O lançamento é nesta quarta-feira, às 19h, na Livraria Leitura do Pátio Savassi.

* O Brasil acaba de criar uma nova figura jurídica: o desembargador de porta de cadeia.

* Um pais é “de direita” quando todo mundo quer ir pra lá e ele controla a entrada. Um país é “de esquerda” quando todos querem fugir de lá e ele controla a saída. Isso é tudo o que você precisa saber sobre direita e esquerda.

*  Elias Bacha e Ricardo Teixeira inauguram, no próximo dia 16, no Shopping Plaza Anchieta,  o restaurante Coco Bambu.