Introdução à primavera

Em tarde na Paulo Navarro Comunicação, as digital influencers, Juliana Alvarenga e a Ana Magalhães

Foto: Paulo Navarro


Introdução à primavera
Todo ano, a floração dos ipês fora de época, antes da primavera, é um evento que recupera até o antigo apelido de Belo Horizonte, como Cidade Jardim. Se uma simples árvore embeleza, o ipê é um cenário. E, justamente por possuir este currículo, os Ipês ganharam admiração e apoio do Verdemar que com o fotógrafo e produtor cultural Júlio Toledo, lançou, dia 4, a campanha "Celebre o Ipê".


Primavera antecipada
A campanha terá diversas ações para que vejamos BH de uma nova forma. Para o sócio-proprietário do Verdemar, Alexandre Poni, apoiar a causa é valorizar a cidade e os belo-horizontinos: “Queremos uma reflexão sobre a causa ambiental e a mudança de comportamento na cidade".


Primavera anunciada
"Os Ipês são um espetáculo a ser admirado, basta olhar. E, uma vez admirados, receberão mais atenção e cuidado da nossa sociedade", completa Poni. A campanha incluiu o “Abrace o Ipê”, com a Savassi Criativa, o Circuito Liberdade e a Secretaria de Esporte e Lazer de BH. 


Primavera multiplicada
“A floração das cerejeiras no Japão (atração turística), também conhecida como Hanami, é celebrada anualmente pela população, que leva tapetes e esteiras para fazer piqueniques nos gramados dos parques, lembra Poni. Esta lembrança puxa ideias e levanta a bandeira ecológica. Bandeira a partir do paisagismo que iria muito além dos canteiros da avenida do Contorno, em seus quarteirões secos, de terra batida. Louvar os ipês é louvar, incentivar e plantar outras árvores e flores em toda a cidade.


Paisagem urbana: Biju também conhecido como Beiju, palito crocante de origem indígena que fez muito sucesso nas décadas de 70 e 90. O senhor Zé Bento, natural de Caratinga, 65 anos, vende biju na zona sul de BH ao som de sua matraca. A farinha de trigo com açúcar e manteiga e produzido por ele há 33 anos.

Foto: Paulo Navarro


Curtas & Finas

* O frio não esvaziou a 8a Feira de Vinhos Super Nosso, pelo contrário, deu recorde de público e faturamento.


A cada noite, mais de mil pessoas. Crescimento de 50% em relação a 2016. As vendas aumentaram 30%.


* "O Desafio Cartográfico do Novo" é o tema de três exposições que reúnem mapas históricos e obras raras,, até 10 setembro, no Museu Mineiro, Centro Cultural Minas Tênis Clube e Museu Abílio Barreto.


* O Hand Spinner tira as crianças das telas antissociais de seus tablets, celulares e afins.


As crianças serem crianças brincam, se diverte e interagem Perfeito para saírem dessa bolha tecnológica em que se encontram!


* Dia 15, a Amadoria, empresa que cria, planeja e realiza experiências de aprendizagem, arte e conexão, abre oficialmente as portas de sua nova casa em Belo Horizonte.


E a nova casa não é qualquer uma e muito menos nova, é uma casa especial, a antiga residência do estilista Ronaldo Fraga, no bairro Floresta. Um casarão art déco dos anos 1930.