Luz de farol

Legenda: Na 68 La Pizzeria, comemorando 30 de formadas no Colégio Dom Silvério, Renata Leste, Adriane Roenick e Debora Meneghin
Foto: Paulo Navarro
 Legenda: No evento #Foco2018Aquila, na sede do Sicepot, o diretor geral da Band Minas, José Saad Duailibi, o jornalista Ricardo Boechat e o titular da coluna
Foto: Edy Fernandes

Túnel e luz
Há uma semana, o Grupo Aquila reuniu especialistas da economia e da política, no espaço de eventos do Sicepot. O projeto “#Foco 2018 Aquila” transformou a cidade na capital nacional da gestão. Destacamos duas falas, a do jornalista Ricardo Boechat e a do senador por Minas, Antonio Anastasia. Boechat dissertou sobre este nosso estranho Brasil de 2017: "Em nenhuma outra democracia o povo aumentou o interesse pela política como aqui nos últimos anos. Isso é positivo e eu me sinto esperançoso (sobre 2018), caminhamos para uma saída".

Luz de farol

Continua Boechat: "Há este grau de interesse coletivo e vigilância que produz um ambiente onde a política tende a ser melhor. 2018 será a primeira experiência eleitoral nesse novo perfil de sociedade. Uma boa expectativa. O país que vem aí só pode ser melhor do que o país que já temos." E continuou: "Não acredito que (Luciano) Huck esteja no jogo (com chances)".

Luz de fogueira

"Penso que reviveremos uma dicotomia estruturada, de direita e esquerda, com biografias testadas. Na esquerda, acho que esse nome será Lula. Não acredito que será barrado pela Justiça. Na direita, está mais pulverizado, é uma briga. No meu entendimento, quem vai se consolidar é o Geraldo Alckmin, que tem uma estrutura partidária consistente e é gestor do maior estado do país."

Luz de guia

O senador Anastasia: "Vivemos uma crise de liderança com a população descrente de confiança com os atuais. Urge surgir novas lideranças de  credibilidade capazes de uma nova política de estado, para trazer conforto, segurança e esperança à população e aos investidores".

A volta do pródigo
Como já divulgado, Amaury Jr. vai voltar para a Band em 2018. O "colunista social terá um programa semanal na emissora que o projetou". Amaury é professor deste colunista. Peguei carona em seu  estilo, segui seu norte e compartilhamos em nossa trajetória diversas coberturas no Brasil e exterior.

Volta astral
Aqui em BH, ao lado de beldades/tietes, Amaury sempre nos acompanhou nas esticadas da noite - adora "aquele" uísque e uma boa conversa. Sem mágoas, mas com lenços e documentos, o "gente boa" deixa a Rede TV! e volta à Band, "onde espera realizar alguns de seus sonhos".

Astral nostálgico
"Rio e São Paulo já foram redutos de festas abundantes – a culpa da escassez é da situação econômica". Mais uma sábia e quase óbvia, ululante constatação de colunista social Amaury Jr. “Festejar virou ofensa. Parece ostentação num país com essa bagunça, com a economia assim”.

Astral desbotado 
As comemorações de outrora minguaram. “As sobreviventes me convidam como amigo e sem câmera”. Amaury assumirá uma atração semanal na Band: “Vou continuar a cobrir aniversários e lançamentos comerciais, mas é hora de me reinventar. A internet está forte e o panorama é outro”, prossegue. "Pequeno" detalhe, Sidney Oliveira, dono da Ultrafarma, seu principal patrocinador, levou a publicidade da marca para a Band.

Astral renovado
“Quero uma revista eletrônica semanal, que gere informação e entretenimento. Vai ser um programa longevo e concentrando esforços num único dia”. Mas é incerto o destino de “Keep It Comin’Love”, hit do K.C. and The Sunshine Band que, há anos, é a marca registrada de Amaury: “Pode ser que a música continue ou fique com odor de naftalina. Posso achar algo melhor. Sou bom pesquisador musical”.

Lança Perfume
* No clima de Amaury Jr, a profecia de Rita Lee: "Alô, Alô Marciano". Não por causa de Marte, mas porque tá cada vez mais down no "high society".
A alta sociedade levou um choque de curto circuito e perdeu o rumo. Bye-bye anos dourados.
Antecipando Amaury, há mais de 20 anos, outro PhD, o saudoso colunista carioca, Zózimo Barrozo do Amaral.
Para Zózimo, tudo estava pasteurizado.  As noites fracas e pobres, bregas. Uma mesmice, tudo vulgar, como se tivessem trocado as taças de cristal por copos de plástico.
Decadência sem elegância. "A crise tá virando zona. Cada um por si, todo mundo na lona, lá se foi a mordomia, muito rei pedindo alforria".
Ponto positivo? Trocar as noites caras por ficar em casa, com atrativos e vantagens. Curtir os amigos verdadeiros, sem pompa, mas com muita alegria. Em tempos bicudos, isso, tá cada vez mais "cool".

* Na esteira de grandes mercados gastronômicos da Europa, em BH, em janeiro, o Mercado da Boca, no Jardim Canadá.
E na esteira do Mercado da Boca está sendo lançado, no Trevo do BH Shopping, o Food Park.

* O presidente do Minas Tênis Clube, Ricardo Vieira Santiago, ao lado de toda a diretoria, comemorou os 82 anos do clube, ontem, no Teatro Bradesco do Centro Cultural MTC.